Como a internet 5G fará carro autônomo andar sozinho até no Brasil

Cem vezes mais veloz do que o 4G, tecnologia permitirá que os veículos do futuro "conversem" entre si, e de maneira ultrarrápida

O pavilhão automotivo da CES (Consumer Electronics Show), uma das maiores mostras de tecnologia do mundo, que aconteceu em Las Vegas, nos Estados Unidos, foi fervilhante.

Grandes fabricantes, como Ford, Audi, Mercedes-Benz e Nissan, além de empresas fornecedoras de tecnologia, como NVidia, Continental, Qualcomm e ZF, parecem ter seguido o mesmo roteiro.

Todo mundo só falou no que parece ser o capítulo 2 da direção autônoma: a conexão dos carros com a rede e deles com eles mesmos.

Faz sentido: online e capazes de conversarem entre si, os carros podem, em tempo real, tomar decisões sem depender de sensores e tecnologias caras, o que pode acelerar a viabilização destes modelos.

“Conectados com a via em que circulam, os carros não precisarão, por exemplo, de equipamentos (como sensores, câmeras e processadores) para parar num cruzamento. Eles ainda estarão lá, mas com prioridade na detecção de elementos vivos, como pedestres e animais”, disse uma técnica da Pioneer.

Agora pensemos num ambiente hostil às atuais tecnologias autônomas e semi-autônomas, como o Brasil. A partir da conexão carro/carro e carro/rede, os veículos teoricamente ficarão muito menos dependentes de nossos precários sistemas de sinalização de trânsito para andarem sozinhos.

Não à toa, a queridinha do momento é a tecnologia 5G, que permite conexões ao menos 100 vezes mais rápidas do que o atual 4G. Em outras palavras, o 5G dará aos dispositivos uma conexão mais veloz do que as atuais redes domésticas de fibra ótica.

No evento, um engenheiro da Qualcomm destacou que outra enorme vantagem do 5G no uso automotivo é a drástica redução no tempo de latência, ou seja, o tempo que o aparelho leva para receber um sinal e o transformar em ação. “A latência do 5G representa um décimo do 4G”, explica.

No Brasil, a tecnologia 5G dificilmente estreará comercialmente antes de 2022. Antes, a GM inaugurará por aqui a era dos carros conectados ao 4G, conforme anunciado no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro passado.

Fonte: Quatro Rodas



Tendência Estapar
A ideia de transformar os espaços em hubs de mobilidade urbana é genial e esse conceito já vem sendo trabalhado como uma tendência do futuro nas unidades da Estapar.