Mobilidade urbana e 5G

Com um leilão que rendeu mais de R$ 46 bilhões ao cofres do país e está sendo considerado o maior do mundo pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), a tecnologia 5G finalmente estará disponível para os brasileiros a partir de 2022.

E a entrada dessa nova frequência vai impactar diretamente a mobilidade urbana. Primeiro porque a cobertura da rede 5G é quase dez vezes maior que a anterior, a 4G. E a nova tecnologia também vai permitir uma velocidade muito mais rápida na transferência de dados, proporcionando uma locomoção mais inteligente e mais eficiente.

Essas mudanças vão impactar diretamente nos meios de transporte como metrô e trens, através da ampliação do uso de inteligência artificial (IA). E também os veículos autônomos, proporcionando controle absoluto da velocidade e da economia no uso de energia. Sem falar na otimização da rede semafórica, melhorando a fluidez no trânsito e reduzindo sensivelmente os congestionamentos.


Sem dúvida, a nova tecnologia vai refletir em grandes transformações na forma como nos deslocamos nas cidades. E trará forte impacto na qualidade de vida das pessoas. A Estapar torce para que as adaptações necessárias para o início de operação do 5G no Brasil sejam feitas o mais breve possível.