SP vai investir R$ 500 milhões em eletromobilidade

O Governo de São Paulo anunciou no final do mês de março a criação do programa 'Pró Veículo Verde', de incentivo à produção de carros híbridos e elétricos no Estado. Para isso, serão investidos R$ 500 milhões em créditos do ICMS, que serão repassados às montadoras que priorizarem esses modelos do segmento.

A medida visa atrair cerca de R$ 20 bilhões, durante um período de 3 anos, de investimentos em veículos eletrificados. E segue o que foi assinado na COP-26, quando o governo paulista assumiu o compromisso de descarbonização até 2050.

O 'Pró Veículo Verde' prevê ainda que São Paulo adquira obrigatoriamente veículos sustentáveis a partir de agora, principalmente nas áreas de Segurança Pública e Educação. O Estado já lidera o mercado nacional de eletromobilidade, com 34% da frota movida à energia limpa.

O programa vai atender montadoras que apresentarem um investimento mínimo de R$ 15 milhões. Ou seja, metade do valor tradicional de R$ 30 milhões para incentivo ao setor automotivo. Além disso, o benefício serve para fabricantes que priorizarem não só elétricos e híbridos, mas também carros movidos por biocombustíveis.

Outra mudança é que o valor do piso para aderir aos créditos do ICMS diminuiu em relação ao modelo tradicional. Portanto, os fabricantes que têm a partir de R$ 3 milhões de créditos já poderão resgatá-los. O teto original para o setor era de R$ 5 milhões.

Por fim, o Governo de São Paulo também alongou o prazo da fiança bancária ou do seguro de obrigações contratuais, que passa de um para três anos. Os serviços tiveram uma redução da fiança de até 90%, ante aos atuais 75%. 

Nós estamos nos preparando para atender o mercado crescente da eletromobilidade. A Ecovagas, primeira rede semipública de carregamento de veículos elétricos do país, criada em parceria com a Enel-X, já conta com mais de 200 pontos de recarga instalados em 29 cidades de 13 estados brasileiros. 


E com a conclusão da fusão entre a Ecovagas com a Zletric, empresa especializada em energia para recarga de veículos elétricos e híbridos, esse número saltará para cerca de 500 pontos. E até o fim do ano serão 1000 pontos.