Seis passos para compra de carro usado

Você já pesquisou, analisou as marcas e modelos do mercado, fez até test drive e finalmente encontrou o veículo usado que procurava? Então, a gente tem seis dicas valiosas para que essa compra seja concluída com sucesso. Confira:

1) Parecer técnico
Faça um ‘check-up’ do carro escolhido num mecânico de sua confiança ou em uma oficina especializada em laudo de pré-compra. Alguns estabelecimentos cobram por este serviço, mas o valor é insignificante comparado aos problemas que podem estar ocultos no veículo.

2
) Laudo Cautelar
Para mais segurança, solicite essa vistoria que é uma análise completa da originalidade, estrutura, histórico e documentação do carro desejado. O laudo cautelar pode entregar três tipos de resultados:

APROVADO: pode seguir adiante.
APROVADO COM APONTAMENTOS: é importante compreender qual é o apontamento. Na maioria das vezes, as partes negociam um desconto.
REPROVADO: por mais atrativo que seja o valor do carro considere não seguir com o negócio, mesmo com um grande desconto. No futuro a venda do veículo poderá ser mais difícil.
Superadas as etapas 1) e 2) você já pode evoluir de forma tranquila para as fases de pagamento.

3
) Documentação
Para a transferência de propriedade será necessário o DUT (documento único de transferência), que até 2020 era emitido de forma física, em papel moeda similar ao documento de rodagem do veículo (CRLV). Desde janeiro de 2021 o Detran passou a utilizar a emissão eletrônica de documentos e o DUT passou a ser chamado de ATPV (autorização para transferência de propriedade do veículo). 

Fique bem atento na hora de preencher os dados no documento de transferência. Uma 2ª via do DUT em papel moeda demanda um laudo de transferência ECV e pode levar dias. E vale lembrar que na etapa de cartório, todos devem assinar a transferência de propriedade, o que garante que a operação da venda e aquisição foi realmente consumada.

4) Pagamento à vista
Certifique-se que o carro está nas mesmas condições que foi apresentado na data da última visita. Faça um check list dos itens que devem ser entregues no ato do pagamento, tais como chave reserva, manual do proprietário, step, kit de troca (macaco e ferramentas) e acessórios pertencentes ao carro.

Se adquirido de um particular, a sugestão é fazer pagamento digital (PIX ou TED) no cartório, após a transferência da propriedade. E, de preferência, o carro já estacionado em local neutro e de fácil acesso. Se adquirido numa loja, valem os mesmos cuidados. A sugestão é pesquisar sobre a reputação do estabelecimento antes de realizar a compra.

5) Pagamento com financiamento ou consórcio
Valem os mesmos cuidados para a situação de pagamento à vista, incluindo algumas etapas para liberação do crédito na conta corrente do atual proprietário, seja particular ou loja. Para liberar o crédito na conta corrente de quem vende o carro, as instituições geralmente pedem o DUT (ou ATPV) já preenchido em nome de quem está comprando.

Na maioria dos casos existe um pagamento simbólico de um sinal e o saldo através do financiamento e/ou consórcio. A liberação acontece dentro de poucos dias, de acordo com cada instituição, na conta do proprietário. 
Solicite a entrega do carro na data do crédito em conta. Se a aquisição acontecer numa loja o crédito geralmente entra na conta da loja e é repassado ao vendedor, mediante a entrega do veículo nas condições acordadas.

6) Termo ou Recibo de Entrega
É prudente entre as partes assinar um termo de entrega no qual formalizam os direitos e deveres de cada lado. A responsabilidade por multas é um ponto relevante. Até a data da entrega do veículo, infrações (e pontuações) devem ser do antigo proprietário. A partir da data da entrega, o novo dono assume a responsabilidade.

Para carros adquiridos em lojas, os contratos de compra e venda devem ser mais elaborados e precisam seguir as regras do Código do Consumidor (CDC).